quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

indescritível

3 comentários:

  1. Drummond, poeta imenso...
    Andei por aqui, gostei de aqui estar...obrigada pela partilha...
    Bjs carinhosos e até breve,
    Manuela

    ResponderExcluir
  2. Chove bem no meio do mar
    São de fogo as manhãs na ilha
    A seda púrpura é lençol de amantes
    Os olhos roubam a virtude à maravilha

    Enchi a taça com absinto
    Ergui o braço, toquei uma nuvem carmim
    Ensaiei um passo de dança 
    Senti que os pássaros riam de mim

    Senti o resto da geada em descalços pés
    Calei minha viola de dois corações
    Deixei entrar no peito o tamborilar de perdidas gotas
    Senti o sabor sal das minhas emoções


    Convido-te a partilhar a outra metade


    Mágico beijo

    ResponderExcluir
  3. Drummond é insuperável e seus textos poéticos fantásticos.
    Abraços ME

    ResponderExcluir